Dicas e Turismo

Um giro por São Paulo

Post Patrocinado

No mês de Maio rolou um encontro muito legal com grandes blogueiros de viagem e participantes do Encontro de Viajantes – organizado pelo blog Quatro Cantos do Mundo – chamado #EncontrãoSP.

Em um único final de semana rodamos por pontos do centro velho da cidade de São Paulo (alguns deles que mesmo sendo nascida e crescida aqui, nunca visitei) com direito a guia particular e excelentes companhias.

Quem organizou foi a galerinha do Blog Quatro Cantos do Mundo (quatrocantosdomundo.wordpress) do qual fazem parte os queridos Eder, Fabi, Carol, Paulo e a mais recente integrante, la petite Amelie.

Os meninos organizaram muito bem nosso cronograma. O Eder foi o nosso guia (explicou tudo direitinho com a ajuda de suas notas by Wiki, rsrs), fizeram reservas no restaurante de sábado e tudo mais.

Nesse final de semana, tivemos também a visita de um blogueiro simplesmente QUERIDO de Fortaleza, que é o fantástico Junior Gomes do diariodemochileiro.com que no sábado nos mostrou um pouco sobre a Colombia, na palestra que realizou no Encontro de Viajantes que falei anteriormente.

É incrível como às vezes moramos tanto tempo em uma cidade e não a conhecemos bem. Nós visitamos lugares onde turistas de diferentes cantos do Brasil, vem para conhecer.

Um segredo? Com 30 anos nas costas nunca tinha sequer entrado no Mercado Municipal e muito menos saboreado o fantástico e mais que tradicional pão de mortadela. Mas não contem isso pra ninguém, tá??? rsrs

Nosso tour começou no sábado pela manhã, onde nos encontramos na estação de metrô da República e de lá saímos para ver o que nos esperava lá fora, para ser observado com olhos diferentes… Com olhos de turistas!

Outros se juntaram a nós como é o caso do amigo Jonathan Pádua do Eu Vou de Mochila e o Fabio Lima do InTrip. A simpática Luangra dos Roteiros da Lú e a Roberta Martins do Blog Territórios também fizeram parte do grupo, assim como Gledson, Débora, Daniel, e muitos outros.

Saindo do metrô demos de cara com a Praça da República, onde aos sábados e domingos (das 9h às 17h) acontece a tradicional Feira de Arte e Artesanato com cerca de 600 barracas e artistas.

Depois, subindo a Avenida Ipiranga, ficamos com dor no pescoço ao admirar o famoso Edifício Itália (onde está o Circolo Italiano) e o Copan – edifício residencial construído na década de 50 e que representa uma das mais características obras de arte do criativo e inovador arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer.

Fotos tiradas… Filmes feitos! Partimos para o Teatro Municipal da cidade de São Paulo.

Como é possível ter passado tantas vezes em frente a um dos ícones dessa cidade e nunca ter parado para apreciar seus detalhes? Pois é! Mau hábito de um povo de cidade grande.

Teatro Municipal

Após ouvir também sua história, muito bem contada pelo amigo Eder, seguimos pelo Viaduto do Chá, localizado no Vale do Anhangabaú e que antes consistia em enormes tablados de madeira.

Antes dele existir, para ir da rua, hoje chamada Líbero Badaró, até a região do Teatro Municipal, era preciso uma boa caminhada. Descendo e subindo ladeira e atravessando a antiga Ponte do Lorena. Tudo isso porque ali estava a chácara da Baronesa de Tatuí que não queria em hipótese alguma que fosse construído o viaduto.

São Paulo 2

Atualmente em uma de suas pontas está o Shopping Light e na outra a Prefeitura Municipal de São Paulo e a Praça do Patriarca, que homenageia José Bonifácio de Andrada e Silva, patriarca da independência, cuja estátua ainda permanece em seu centro desde 1972.

Depois seguimos pela Rua Direita e chegamos ao Pátio do Colégio, onde teve início a cidade de São Paulo com sua primeira construção a mando de Portugal, que serviu de núcleo para os padres jesuítas como o Padre Manuel da Nóbrega e José de Anchieta, além de centro de catequização dos indígenas.

Pátio e Colégio São Bento

E por último fomos ao marco zero da nossa cidade: a Praça da Sé e a Catedral da Sé.

E aqui, posso com certeza afirmar, após todas as milhares de igrejas que visitei na Europa quando morei por lá, que essa catedral não deixa absolutamente nada a desejar. Definitivamente!

Praça e Catedral da Sé

Nesse ponto, estávamos realmente famintos e demos um pulinho na maior colônia de japoneses em São Paulo – Bairro da liberdade – e almoçamos em um restaurante típico japonês. Com direito a um japinha tocando e cantando pop.

Liberdade

Já no domingo, continuamos o nosso Encontrão e começamos pelo super multimídia Museu da Língua Portuguesa, com estações interativas como a mesa onde você consegue caçar e formar palavras com as mãos e a fantástica exposição de Jorge Amado.

Passamos, é claro, pela extraordinariamente européia Estação da Luz e alguns passos depois chegamos a Sala São Paulo. Infelizmente o tempo estava apertado e não deu pra visitá-la internamente. Mas já está anotado na inacabável (graças a Deus) Lista de Coisas Pra Fazer Antes de Morrer… rsrs.

Estação da Luz

Seguimos então rumo ao Viaduto Santa Ifigênia. Começamos a atravessá-lo a partir da ponta onde encontra-se a Igreja Santa Ifigênia e terminamos no Largo São Bento, onde está o Mosteiro de mesmo nome.

Viaduto Santa Ifigênia

Nesse ponto, duas novas integrantes se juntaram a nós. Fabi e Amelie que nos acompanharam ainda pelo caminho que percorremos passando pelo Café Girondino, BM&F Bolsa de Valores, Rua 15 de Novembro e Banco de São Paulo.

E aí a fome bateu novamente e seguimos pela Ladeira Porto Geral até o nunca visitado por mim, Mercado Municipal. É verdade!

Grandioso por fora e nem tanto por dentro. Com frutas tradicionais e nunca vistas, além de castanhas, temperos e outras coisas diferentes.

Mercado Municipal

Assim como o mercado… foi a minha primeira vez com o sanduíche de mortadela. Fenomenal! Não existe nada mais típico desse lugar e da cidade de São Paulo. Só não menciono o igualmente conhecido pastel de bacalhau, pois não é a minha praia. Mas saibam que quem experimentou, aprovou!

Ufa! Esse foi um tour bem paulistano que fizemos, com pessoas queridas, muita cultura e que nos deixou com um gostinho de “quero mais”.

Quem sabe rola uma próxima?

Dica

Para quem mora em São Paulo, um tour de final de semana como o que fizemos é uma boa pedida. Mas se você mora em cidades vizinhas ou mesmo está passando férias ou temporada por aqui, saiba que São Paulo goza de uma grande estrutura hoteleira.

Temos de todas as estrelas e para todos os bolsos!

Se o que você curte é ficar hospedado em hostels, pois assim não corre o risco de cair na rotina e as chances de conhecer pessoas diferentes é maior, saiba que como opção existe o site do HostelBookers. É uma forma de viajar mais sem gastar tanto em hospedagem e te traz muitas opções de hostels na cidade de São Paulo.

Sem contar que existem mochileiros que são praticamente viciados nesse tipo de hospedagem. Ouso dizer que chega ao ponto de se tornar uma cultura. Uma cultura de viajante… Uma cultura de mochileiro que busca uma opção de hospedagem barata para poder colocar a mochila por mais vezes nas costas e os pés na estrada.


Seja o primeiro a comentar

Ninguem comentou ainda.

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Comente aqui

twitter

Me on Google+