Dicas e Turismo

Salar de Uyuni – Terceiro dia

O terceiro dia dessa viagem era o dia mais esperado de todo o passeio, pois iríamos finalmente conhecer o tão esperado Salar do Uyuni.

Como disse no post anterior, durante o jantar, em nosso segundo dia, nosso motorista nos propôs acordar mais cedo do que previa o nosso roteiro, para vermos o sol nascer no salar. Topamos a proposta rapidamente e não nos arrependemos nem um pouco em acordar 2h antes do previsto. Valeu muito a pena.

Acordamos por volta das 4h, tomamos o nosso café da manhã no hotel de sal rapidamente, carregamos o nosso jipe com as mochilas e depois de alguns minutos, já estávamos no ponto exato onde teríamos a visão de um dos mais belos nascer do sol.

E sabem por que ele foi tão belo assim? Primeiro porque ao meu lado estava uma pessoa mais do que especial para compartilhar esse momento e depois porque o salar ainda estava com aquela fina película de água no início. O que resultou eu um lindo nascer do sol espelhado no chão. Foi aí que as lágrimas rolaram pelo meu rosto. Foi um momento verdadeiramente mágico e que desejo a todos nessa vida.

Salar do Uyuni- 3° Dia_3

Paramos com o jipe sobre um caminho de sal e observamos o sol nascer. Acredito que a temperatura estava em torno de 5 graus e a película de água estava congelante. Pelo menos foi o que disseram as caras das pessoas que pisaram descalças para fazer aquelas fotos espelhadas.

Nós também tiramos as nossas, sem pisar na água, é claro, e em seguida subimos novamente no jipe para cruzar a película e chegar à parte seca.

Aqui, vale fazer um parêntesis. No mês de fevereiro, até meados de março é quando o salar está com água e sua camada de sal instável. Nesse período dificilmente os jipes conseguem cruzá-lo e se algum motorista se propor a fazê-lo, não o acompanhe. Pois isso não é nada prudente. As chances de ficar atolado e estragar o seu passeio são grandes. Quando o visitamos, no final de março, a película existia no início dele, mas o chão estava estabilizado e portanto, possível de ser atravessado.

Assim que passamos pela parte molhada, chegamos a um ponto onde, seco, fizemos várias fotos explorando distância e perspectivas que todos que visitam a área gostam de fazer. Ao invés de sal, parecia até que estávamos sobre a neve. Nos divertimos, conversamos um pouco e tiramos diversas fotos.

Salar do Uyuni- 3° Dia_12

Novamente a bordo do jipe, chegamos a um ponto onde o chão estava craquelado, como as fotos que vemos pela internet. Tivemos muita sorte pois, no período em que o visitamos, em seus mais de 10 mil quilômetros quadrados, conseguimos pegar os 3 estágios do salar em uma única visita.

Salar do Uyuni- 3° Dia_17

O salar é gigante e é considerado uma das maiores reservas de lítio do mundo, localizada logo abaixo de todo aquele sal. O que nos faz pensar por um momento que toda aquela obra da natureza pode estar com os seus dias contados.

O lítio é um componente muito utilizado na fabricação da bateria de alguns eletrônicos e muitos gringos já estão de olho nisso. Louis, nosso motorista, nos contou que já existe uma pequena área do salar destinada a exploração do lítio pelos franceses. E daí você pensa novamente… Quanto tempo vai levar até que essa área esteja toda comprometida por conta dessa exploração e extração???

O sal do salar, apesar de ser uma matéria prima da região, não está mais sendo tão explorada pelos bolivianos, pois o custo não compensa mais. Nos disseram que um saco de 1Kg de sal extraído, custa cerca de 5 bolivianos. E o trabalho dessa extração é grande e não compensa.

Você vai notar isso quando estiver terminando de cruzar o salar. Verá montes de sal chamados de montones, formados por trabalhadores e suas pás. Esses montes ficam alí por cerca de 3 a 5 dias, até que sequem completamente. E então, um caminhão chega para removê-los dali. Conclusão? Dizem que vale mais a pena comprar da China!!!

Salar do Uyuni- 3° Dia_22

Antes de chegar à área onde estão os montones, você irá conhecer também um dos primeiros hotéis de sal, que encontra-se dentro do salar. Para entreter os turistas (e arrecadar uns bolivianos), nele foi criado uma espécie de museu do sal com esculturas e móveis feitos desse material. Para entrar nele, terá que comprar alguma coisa na lojinha da recepção.

Salar do Uyuni- 3° Dia_18

Voltando ao final do salar, assim que paramos para observar os montones, Louis percebeu que um de nossos pneus estava um pouco murcho. E com toda sua experiência, em poucos minutos trocou o pneu enquanto tirávamos mais fotos, e depois nos levou até o povoado que encontra-se na outra ponta do salar, chamado Colchani.

Salar do Uyuni- 3° Dia_23

Esse povoado é bem pequeno também e sua estada nele vai se resumir à rua principal, com suas barraquinhas que exibem lembranças à venda. Devo dizer que vale mais a pena comprar roupas, bolsas e gorros aqui do que em San Pedro do Atacama.

Depois das comprinhas, paramos em um “restaurante” onde Louis serviu nosso almoço que foi preparado pela manhã no hotel de sal onde passamos a noite e colocado no carro. Nos foi servido macarrão, frango, salada, laranja e coca cola. E logo em seguida, fomos ao cemitério de trens, que encontra-se próximo à cidade de Uyuni.

Salar do Uyuni- 3° Dia_28

Antigamente, o Uyuni era uma região produtora de trens. E com o desuso em alguns trechos, os vagões ficaram abandonados, dando origem a esse cemitério que atualmente tornou-se uma atração para os turistas. Duvida? Então veja as fotos no final do nosso post.

Essa foi a nossa penúltima parada. A próxima seria na cidade do Uyuni onde nos despediríamos de Louis e da excelente aventura que nos fez viver e, com um outro motorista, faríamos o nosso retorno.

Enquanto aguardávamos o outro motorista, deixamos nossas mochilas na agência World White Travel e fomos conhecer a cidade e comer um pouquinho. Conhecemos a pracinha, algumas ruas de comércio e comemos uma pizza em um dos restaurantes dessa praça onde experimentamos também a cerveja de quinoa.

Salar do Uyuni- 3° Dia_29

Aqui faço um outro parêntesis: um dos motivos de termos escolhido a World White Travel é porque eles são bolivianos e sua sede encontra-se no Uyuni, ou seja, teríamos assistência dos dois lados.

Na cidade de Uyuni, ficamos por aproximadamente 4h até seguirmos viagem em outro jipe com outro motorista. Essa troca acontece por motivos de segurança. O Louis iria descansar pelos próximos 4 dias e dar uma geral em seu jipe, pelos possíveis danos causados em seu veículo. Pois o terreno é difícil e o sal, um grande inimigo para os carros.

Tivemos sorte novamente com o motorista que fez o nosso trajeto de retorno. Era simpático e prudente. Não o vimos colocar uma gota de álcool na boca. Devo dizer que apenas Matheus não teve tanta sorte assim, pois esse novo motorista, em uma tentativa de ser o mais amigável possível, nos fez ouvir por algumas horas uma coletânea inacreditável de músicas de sertanejo universitário, com direito até a Calcinha Preta!!! Eu adorei, pois (tirando Calcinha Preta), gosto de sertanejo universitário, mas o Matheus não sossegou até que conseguir trocar pelo Coldpaly… rsrs

A volta foi mais confortável. No carro estávamos, dessa vez, apenas em quatro. O João havia ficado no Uyuni, pois seguiria viagem de ônibus para conhecer ainda outros lugares da Bolívia como La Paz e Cochabamba.

Tivemos uma parada intermediária em um povoado para aquele “pipi” stop básico e seguimos para Villa Mar onde passaríamos a nossa última noite em um refúgio. Aqui, tivemos água para tomar um banho quente e jantamos por volta das 20h. Tomamos sopa com pão e depois, macarrão com molho.

Salar do Uyuni- 3° Dia_34

Conversamos um pouco com algumas pessoas que sentaram conosco em nossa mesa. Uma conversa mais do que agradável de se ter com uma doutorando de Oxford em astrologia e um jornalista científico holandês. E depois? Cama!

Dicas

- Cuidado com a sua câmera. O sal pode danificá-la. A nossa pequena, oxidou, mas a maior, graças a Deus não aconteceu nada. Como disse minha amiga Clarissa Donda, quando não estiver utilizando, mantenha-a em um saco de proteção.

- Experimente a cerveja de quinoa no Uyuni.

- Continue bebendo água. Ainda que não esteja tão alto como no início da viagem, serão ainda 3.650m de altitude.

- Reserve alguns bolivianos para fazer suas comprinhas em Colchani.

Links externos

Fizemos nosso tour pelo Uyuni com a agência www.worldwhitetravel.com


Seja o primeiro a comentar

Ninguem comentou ainda.

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Comente aqui

twitter

Me on Google+