Dicas e Turismo

Sala de Âmbar

Em 1717, Pedro o Grande, Czar da Rússia foi presenteado com belos painéis de âmbar, por Frederico Guilherme I, naquela época, o Rei da Prússia. Este foi realizado com o objetivo de selar uma aliança entre ambos os países.

Esses painéis eram feitos com uma substância, que nada mais é do que uma resina fóssil produzida por um espécie específica de pinheiro existente na Escandinávia, na costa do Mar Báltico, há 50 milhões de anos.

Essa resina, ao escorrer do tronco e ramos do pinheiro, acabava envolvendo nela mesma insetos, folhas, penas, rãs, sementes e outros pequenos organismos que encontravam-se no tronco da árvore. E assim acabava aprisionando-os enquanto se avolumava.

Com o tempo, essa resina se solidificava e assim transformava-se em âmbar, tendo a propriedade de manter a forma tridimensional de tudo aquilo que ela envolvia durante esse processo. Isso ajudou muito em estudos de espécies já extintas.

Em tempos remotos, muitos acreditavam que o âmbar possuia poderes medicinais e mágicos além de sua beleza artística com seus diferentes tons de dourado (embora existisse em outras cores), sua leveza, facilidade de manuseio e pelas coisas que ela conservava dentro dessa sua resina.

Em 1755 esses tais painéis foram usados, a título de material exótico, para o revestimento de uma das salas do Palácio Catarina, antigo Palácio de Verão dos Czares, localizada em Tsarkóe Selo, subúrbio de São Petersburgo.

Foi uma verdadeira obra prima realizada pelo arquiteto Rastrelli. Uma sala toda em âmbar, com ricos espelhos de Veneza e enfeites em ouro. Além disso a sala refletia as luzes das chamas de 565 velas distribuídas em magníficos candelabros na parede, proporcionando assim uma visão deslumbrante para seus visitantes.

Chegou a ser considerada a 8ª Maravilha do Mundo.

Pelo menos até 1941, quando durante a 2ª Guerra Mundial, a Rússia foi invadida por Hitler.

As primeiras obras a serem bombardeadas foram os palácios na região de São Petersburgo. E mesmo com a tentativa, do início da guerra, de transportar os tesouros russos para lugares mais seguros, os alemães conseguiram chegar à sala de âmbar antes que essa fosse transportada.

Os alemães por sua vez possuiam uma lista com a localização exata dos tesouros russos e por isso encontraram com facilidade a Sala de Âmbar.

Eles a desmontaram e enviaram ao Palácio de Königsberg (hoje Kaliningrado) na Alemanha, onde foi remontada e permaneceu até 1944 quando a Alemanha, por sua vez, pelos Aliados.

O Palácio de Königsberg acabou sendo incendiado e a Sala de Âmbar desapareceu. Nunca mais foi encontrada.

Mesmo depois da Guerra, organismos russos foram encarregados de desvendar esse mistério. Realizaram buscas minuciosas, iterrogaram os envolvido, mas o paradeiro da sala nunca mais foi encontrado.

Alguns disseram que a sala foi desmontada antes dos bombardeios, outros que foi incendiada junto com o palácio, outros ainda diziam que viram imensos engradados com o âmbar serem levados para navios que
depois foram afundados, ou ainda que esses engradados foram escondidos em minas que acabaram sendo aterradas.

Existiram também depoimentos que asseguravam que os próprios foram responsáveis pela sua destruição quando invadiram a Alemaha.

Sem resultados com as buscas, em 1979, o governos soviético ordenou a reconstrução da Sala de Âmbar.

Baseando-se em fotos antigas e com o auxílio de técnicas avançadas e os melhores mestres, a nova sala foi inaugurada em 2003. Para isso foram utilizadas cerca de 6 toneladas de puro âmbar, 8 milhões de dólares e muito esforço. Todos os detalhes foram recriados, inclusive os mosaicos fiorentinos.

Assim a única Sala de Âmbar no mundo voltou a reinar no Palácio de Catarina.

A Sala de Âmbar não pode ser fotografada, embora haja sempre alguém que, aproveitando uma distração da funcionária, que está sentada à porta e sempre vigilante, consiga fazer o dar sua escapadela, o que é muito perigoso pois o fotógrado corre o risco de ser punido e eles não possuem meias medidas.

Como chegar

De trem

Pegar o trem na estação Vitebsk (plataforma Kupchino) e descer na estação de Pushkin e depois você pode pegar os ônibus 371 ou 382 para os portões do parque.

Ou ainda, numerosos mini-ônibus marshrutka (K-286, K-287, K-299, K-342), desde Moskovskaya Ploshchad, ao lado da estação de metrô Moskovskaya.

O tempo de viagem é de pouco menos de 30 min.

Veja aqui o mapa do metrô de São Petersburgo.

Onde

Sadovaya St, 7
Pushkin, San Pietroburgo, Russia
Tel.: +7 (812) 466-66-74

Funcionamento

Das 10h às 17h.
Fechado às terças-feiras e a última segunda de cada mês.

Links externos

www.expresstorussia.com
www.guidetorussia.org
www.gov.ru
www.saint-petersburg.com

passagem Veja aqui vôos para a Rússia.

hotel Veja aqui hotéis em São Petersburgo.


Seja o primeiro a comentar

Ninguem comentou ainda.

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Comente aqui

twitter

Me on Google+