Dicas e Turismo

Onde ficar em Buenos Aires

Post feito em parceria com Wimdu

Vocês já viram o nosso post geral de Buenos Aires (se não, confiram aqui as nossas dicas gerais sobre a cidade – Mi Buenos Aires queriiiiiida!!!). Agora vamos falar em detalhes, de uma questão importante para uma viagem à cidade portenha. A hospedagem!

Após termos comprado as passagens com a Aerolienas Argentinas, passamos à fase de definição de hospedagem. E a primeira dúvida que surge é: Onde ficar hospedado? Em qual bairro?

Como disse no primeiro post, não importa o quanto você pergunte, sempre vão responder, o bairro da Recoleta. E sim, é um bairro agradável, bonito em sua maior parte e com ares de Europa. Mas nós decidimos ficar no bairro de Palermo.

Para quem não sabe, o bairro de Palermo é um nobre e residencial bairro da cidade de Buenos Aires que tem suas subdivisões. Dele fazem parte Palermo Viejo (onde mora o agito), Palermo Soho (com sua cultura pop e oficinas de arte), Palermo Hollywood (a parte do bairro onde moram as produtoras de vídeo e cinema), entre outros como Palermo Chico, Alto Palermo e Las Cañitas. Vale mencionar que este último foi super recomendado por nosso anfitrião, Mauro – vocês saberão mais sobre ele, a seguir – para um jantar nos bons e variados restaurantes de lá. A meu ver, esse seria o reduto gastronômico preferido dos portenhos.

Existem alguns mapas pela internet que ilustram (ou tentam ilustrar) essa incerta divisão. Veja um deles abaixo.

Mapa de Palermo

Tomada a decisão do bairro onde descansaríamos as nossas pernas ao final do dia, passamos então a procurar, enfim, um meio de hospedagem. E aqui, devo dizer que tivemos a sorte de, pela primeira vez, experimentar um serviço diferente e que nos agradou muito. Ele se chama Wimdu e a proposta é de oferecer quartos ou apartamentos para você alugar, por quantos dias forem necessários.

O Wimdu é um site de reservas. Ao acessá-lo (www.wimdu.com.br), assim como outros sites de reserva de hotéis, você terá à sua disposição uma série de filtros para ajudar você a encontrar o que procura. Desde data, cidade, bairro, internet wi-fi, preço e outros.

O mais legal é que você consegue conversar com o proprietário da casa ou apartamento, para saber informações que são necessárias a você, antes de fechar a reserva. E é tudo feito via plataforma do próprio site. Basta se cadastrar e os avisos de respostas chegarão no seu e-mail.

Cada uma das propriedades tem um bom descritivo sobre horários de check-in e check-out, localização, equipamentos do apartamento, penalidades e outros detalhes.

A única coisa que achei mais complicado, foi o fato de alguns proprietários pedirem um “caução”, que pode ser um valor já fixo, uma porcentagem da reserva ou o valor da reserva em si. Ainda aqui, a forma de recebimento pode variar. Podendo ser paga em dinheiro no momento de sua chegada (valor esse, devolvido no final de sua estadia), cartão (valor bloqueado) ou ainda (achei diferente e interessante) PayPall.

Mas a negociação, bem como a exigência de um caução, não é feito via Wimdu, e sim direto com o proprietário. O Wimdu compromete-se apenas com o pagamento da estadia.

Contudo, isso não chega a ser um problema, já que existem opções onde esse “caução” não é exigido. Foi, por exemplo, o caso do apartamento onde ficamos: Lindo, confortável, com móveis novos e muito bem localizado. Praticamente a 1 quarteirão da Avenida Santa Fé onde você encontra mercados, padarias, bares, lanchonetes, ônibus, taxis e até a estação de metrô Palermo (essa a 2 quarteirões do ap.).

Onde ficar em Buenos Aires 1

O proprietário chama-se Mauro (olha ele aqui!) e não temos palavras para descrever o quanto ele foi gentil ao nos receber e explicar um pouco sobre onde ir e como ir a lugares que tínhamos em mente para visitar.

Onde ficar em Buenos Aires 5

Para os viciados em internet (como eu :)), o apartamento tinha inclusive internet wi-fi, além de outras comodidades como ar condicionado, televisão, fogão e geladeira. Aliás, esta guardava um pequeno agrado de Mauro para nos receber: duas Quilmes, que acabamos logo que chegamos!

Onde ficar em Buenos Aires 3

Existe também, na cobertura do prédio, uma piscina que você pode desfrutar até as 22h. Foi a cereja do bolo para o Franco, que após um dia quente de muitos passeios pela cidade, colocava seu calção e subia para um refrescante banho de piscina.

Onde Ficar em Buenos AIres 6

E o que mais nos agradou, foi a flexibilidade de Mauro com relação aos horário de chegada e saída. Desde que não tenham hóspedes entrando ou saindo, ele acaba acordando um horário bem legal para vocês.

Pelas fotos aqui colocadas, dá pra ver que foi uma estadia mais do que agradável!

Onde ficar em Buenos Aires 4

Ah! Com relação ao preço das reservas, achei igual ou às vezes mais baratos que os hotéis. E apesar de não ter café da manhã, você tem uma cozinha à sua disposição para fazer seu café ou até economizar nos jantares. E sobre a forma de pagamento, optamos por PayPall, mas existe também a possibilidade de usar o cartão de crédito.

Se gostaram do ap., procure-o no Wimdu (Guemes 1425, ou “Guemes 4747″). Nós curtimos muito!

Onde ficar em Buenos Aires 2


Um Comentario

[...] O apartamento em que ficamos era praticamente novo e o proprietário era super solícito e flexível. Se quiser mais detalhes sobre como utilizar esse prático sistema de reservas, bem como o apartamento que utilizamos durante os dias que passamos nesta cidade, veja o post Hospedagem diferente em Buenos Aires. [...]

Pingback por Mi Buenos Aires queriiiiiida!!! | Dicas e Turismo - Seu guia de viagem. As melhores dicas sobre turismo, viagem, destinos e pacotes turísticos. — 11 de janeiro de 2013 @ 02:23



Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Comente aqui

twitter

Me on Google+