Dicas e Turismo

23 Lugares para conhecer antes que morram

Excelente matéria da Revista Viagem e Turismo. Espero que gostem.

Destinos e patrimônios que, pelo aquecimento global e outras ameaças, podem desaparecer. Aproveitem para conhecer.

Lista da edição de agosto de 2010 da revista Viagem e Turismo.

Foi feita de acordo com o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas da ONU, do Word Monuments Fund e do relatório de patrimônios em risco da Unesco.

1. Ilhas Maldivasmaldivas

Destino de sonho, o arquipélago com mais de mil ilhas tem praias de areia branquinha e mar azul. Um Caribe no Oceano Índico. Problema: 80% das Maldivas estão apenas 1 metro acima do nível do mar. O país está afundando e pode desaparecer em 100 anos. O presidente Mohamed Nasheed criou uma espécie de poupança nacional para financiar o êxodo da própria população.
Foto: Marco de Bari

2. Reciferecife

A capital pernambucana é um dos principais destinos turísticos do país – recebe cerca de 3 milhões de visitantes por ano. Mas a cidade conquistou o 18º lugar em um ranking preocupante: a lista dos 100 lugares que podem desaparecer da ONG Co+Life. Recife e seu entorno sofrem com o próprio tamanho – é a sexta região metropolitana mais populosa do Brasil, com quase 4 milhões de habitantes – e com sua condição geográfica: junto ao Atlântico e na foz dos rios Capibaribe e Beberibe.
Foto: Luciano Ferreira

3. Templo Phajodingtemplo-phajoding

Encravado em uma montanha do Butão a 3 650 metros de altura, o templo sempre foi refúgio de monges. Com o crescimento no número de turistas (cerca de 20% ao ano) no país, as estruturas do templo estão ficando comprometidas – e a paz dos monges também.
Foto: wmf.org/divulgação Revista Viagem e Turismo

4. Floresta Amazônicafloresta-amazonica

O desmatamento é um dos inimigos dessa que é a maior floresta tropical do mundo. Nos últimos 30 anos cerca de 966 mil quilômetros quadrados de área verde sumiram. Embora controversa, a previsão de que trechos da Amazônia poderão se tornar savanas é chocante.
Foto: Carlos Nader/Divulgação Revista Viagem e Turismo

5. Monte al-Makmalmonte-al-makmal

Próximo ao Monte al-Makmal, no norte do Líbano, encontra-se a última reserva de floresta de cedro, a árvore-símbolo do país. Entre os 375 exemplares, pelo menos 12 têm mais de mil anos.
Além do tempo, os cedros passaram a ter mais um inimigo: a aridez da região. Acima, foto do Vale Qadishi, local onde fica o monte.
Foto: Cléderson Perez/Flickr

6. Tuvalutuvalu

Com nove ilhas, a nação de Tuvalu fica isolada em pleno Pacífico. O pequeno arquipélago sofre com o mesmo problema das Ilhas Maldivas: a maior parte do território do país fica apenas 1 metro acima do nível do mar. Com isso, as águas estão engolindo Tuvalu pouco a pouco.
Foto: Leigh Blackall/Flickr

7. Naukluft Parknaukluft-park

No Deserto da Namíbia ficam as maiores dunas migratórias do mundo – os paredões de areia chegam a 300 metros de altura. Mas as alterações climáticas devem aumentar as correntes de ar vindas do mar, o que pode acelerar o deslocamento das dunas, ameaçando a vegetação e a fauna da região.
Foto: Mariana Vinanna

8. Plataforma de Gelo Rossgelo-ross

Na Península Antártica, a Ross é a maior plataforma de gelo do mundo – tem quase o mesmo tamanho da França. O medo dos cientistas é de que o paredão branco derreta num futuro não tão distante, o que aumentaria o nível dos oceanos em 5 metros.
Foto: divulgação da Revista Viagem e Turismo

9. Kilimanjarokilimanjaro

Trata-se de um dos ícones da degradação ambiental. Além de ser o pico mais alto da África (com quase 6 mil metros), o Kilimanjaro, que fica na Tanzânia, tornou-se famoso por sua neve eterna.
Bem, é melhor mudar a expressão. Acredita-se que em dez anos o topo da montanha já não tenha mais gelo algum.
Foto: Tanzania Tourism Board/divulgação

10. Virunga National Parkvirunga-park

A floresta do Congo, onde vivem cerca de 200 gorilas-das-montanhas, espécie em risco de extinção, virou esconderijo dos refugiados da guerra de Ruanda em 1994. Desmatamento e caça ilegal são apenas alguns dos problemas do parque.
Foto: Virunga National Park/divulgação

11. Tóquiotoquio

Uma das capitais do mundo, Tóquio sofre com as ilhas de calor. A situação só tende a piorar com o aquecimento global: nos últimos 100 anos, os termômetros na capital japonesa aumentaram cinco vezes mais rápido que a média mundial.
Foto: Divulgação Revista Viagem e Turismo

12. Galápagosgalapagos

Foi nessa ilha do Equador que, há 150 anos, o cientista Charles Darwin criou a Teoria da Evolução. Porém, o turismo em massa e o crescimento da população local põem em risco cerca de 5 mil espécies animais.
Foto: Caio Vilela

13. Venezaveneza

A cidade italiana transborda beleza e, muitas vezes, algo mais fétido. De qualquer forma, Veneza está afundando – em 100 anos 20 centímetros foram para debaixo d’água. O aumento no nível do mar tem agravado a situação e acelerado o desgaste dos edifícios, mas as estruturas que sustentam a cidade também estão danificadas. As inundações, por consequência, tornaram-se mais frequentes. Um ambicioso projeto de comportas para conter a água do mar está previsto para 2014.
Foto: Divulgação Revista Viagem e Turismo

14. Santuário Manassantuario-manas

Aos pés do Himalaia, na Índia, o santuário é a casa de diversas espécies animais – muitas delas em extinção, como o elefante indiano. Mas, desde 1992, quando militantes da tribo Bodo invadiram a área, o Manas entrou na lista dos patrimônios em risco da Unesco.
Foto: Divulgação / manasassam.org

15. Sagrada Famíliasagrada-familia

A igreja jamais concluída projetada por Antoni Gaudí, em Barcelona, está em risco desde que foi aprovado o projeto para a construção de um túnel por onde irá passar um trem de alta velocidade – bem embaixo de sua fachada principal. Se levado adiante, há chance de comprometer a já frágil estrutura do templo, iniciado em 1882.
Foto: André Penner

16. Machu Picchumachu-picchu

No topo de um vale, Machu Picchu fica em um lugar delicado. Este sítio arqueológico, Patrimônio Histórico da Humanidade desde 1983, tem sofrido vários problemas, como deterioração das ruínas e deslizamentos de terra. Com o grande fluxo de turistas, torna-se real a possibilidade de que a cidade desmorone montanha abaixo. Desde 2004, há um limite de 2 500 visitantes por dia.
Foto: Divulgação Revista Viagem e Turismo

17. Cidade Antiga de Jerusalémjerusalem

Em Israel, os conflitos entre palestinos e israelenses ameaçam o local sagrado para judeus, muçulmanos e cristãos, as três maiores religiões monoteístas do mundo. A cidade possui um rico patrimônio histórico, como o Domo da Rocha, do século 7, que sofre com a falta de conservação.
Foto: Valdemir Cunha

18. Big Surbig-sur

Na costa da Califórnia, o trecho à beira-mar da Big Sur, entre San Francisco e Los Angeles, é considerado uma das estradas mais bonitas do país. No entanto, a região tem sido alvo de fortes ondas de calor e de seca. Essa mudança tem elevado o número de queimadas, o que acaba destruindo o ecossistema local.
Foto: Jill Matsuyama/Flickr

19. Grande Barreira de Coraisaustralia-corais

De tão grande a Barreira de Corais é visível até do espaço – são quase 2 mil quilômetros de recifes, ilhas e atóis, que formam um colorido santuário da vida marinha no mar da Austrália. Trata-se do maior organismo vivo do planeta.
Frágeis, os corais são muito sensíveis à elevação na temperatura dos oceanos e à poluição das águas. O estrago é perceptível a olho nu: o paraíso colorido sofre um processo de branqueamento.
Foto: Divulgação Revista Viagem e Turismo

20. Caminho de Santiago de Compostelasantiago-compostela

A rota de peregrinação mais famosa da Europa, trilhada desde o século 12 na Espanha, tem ganhado concorrentes de peso: as rodovias pavimentadas. Em diversos pontos de seus 800 quilômetros, o caminho histórico tem sofrido alterações e desvios por causa das construções.
Foto: TurEspanha/Divulgação

21. Alpes Kitzbühelalpes-kitzbühel

Os glaciares dos Alpes têm diminuído em ritmo acelerado: só dos anos 1980 para cá eles perderam cerca de 20% de seu tamanho. No lado da Áustria, uma das saídas foi colocar um tipo de manto térmico sobre o gelo para evitar o derretimento durante o verão. A experiência tem dado certo.
Foto: Austrian National Tourist Office/Homberger

22. Delta do Okavangodelta-okavango

Antes de desaparecer no Deserto do Kalahari, em Botsuana, o Rio Okavango dispersa-se em uma infinidade de riachos, formando assim o maior delta de interior do mundo. Mas se supõe que as estiagens serão cada vez mais frequentes com o aquecimento global.
Foto: Mariana Vianna

23. Península Valdésvaldes

No inverno, as baleias-franca-austrais se refugiam nas águas mais quentes da península argentina. O problema é que o krill, principal alimento delas, está desaparecendo devido ao aumento da temperatura do mar. Especialistas já constataram uma queda no número de nascimentos de baleias.
Foto: Divulgação Revista Viagem e Turismo


Um Comentario

Faltou incluir o Grand Canyon nesta lista. Fica a sugestão.

Feito por Aldo Paulino — 14 de janeiro de 2013 @ 02:31



Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Comente aqui

twitter

Me on Google+